12/10/2010

O caminho suave


Eram exatas 20h11 quando ele saia de casa, nas costas amarrado por sua faixa branca o seu kimono azul de tantos treinos e lutas. Ia rumo a mais um treino. Além do seu wagi, ele carregava nas costas o peso de toda uma vida, ia treinar justamente para tentar aprender a se defender dos golpes que a vida insistia em lhe aplicar. Queria também aprender a cair sem se machucar tanto quando esse golpe fosse certeiro.

Mas em algum lugar dentro dele, ele sabia que ia treinar para apanhar mesmo, é o ônus por uma vida com tantos deslizes. Quem sabe assim ele não equilibraria seu karma. Ele só queria um pouco de paz interior. Mas essa semana tudo estava mais difícil, além dos fortes golpes que acabara de levar, contusões antigas voltaram a doer. Problema crônico que ele carregará consigo pelo resto da sua vida e terá que se acostumar com as dores que ela causam vez por outra. Não há gelo que alivie essas dores.

Calado ele segue, cabeça erguida. Nenhum grito de dor, nenhuma mão estendida pedindo ajuda para se levantar. "Se cair 10 vezes, levante 11" é o que se repete em sua cabeça, mesmo que essa voz cada vez fique mais baixa. Mas o relógio continua correndo e ainda há muito tempo de luta, desistir seria uma vergonha para aqueles que te ensinaram a ser forte. Então ele mais uma se levanta, mesmo que as vezes não saiba por que fez isso, sem saber onde está seu adversário. Só se levanta. E cai novamente. E fica de pé.

Dizem que aquilo que não te mata te faz mais forte, mas aquilo que não te mata de uma vez te mata aos poucos. Mas o que é a vida senão uma preparação para o fim? A partir do momento que você nasce você começa a morrer. O que te faz forte afinal de contas?

Hoje dedico essas palavras e minha vida ao meu avô Luiz que há 10 anos nos deixou e ao meu irmão André que essa hora estaria começando a preparação para o seu aniversário. Nem preciso dizer que o dia 10 de dezembro é o dia mais triste do ano para mim.

12 Comenta aqui, campeão!:

Raquel Mota disse... [Responder comentário]

A vida da muitos golpes na gente, mas é através deles que aprendemos a ser mais forte. São barreiras que devemos quebrar sem baixar a cabeça. Em janeiro eu tenho um dos dias mais tristes pra mim, porque perdi uma tia que pra mim era um amiga e uma segunda mãe, Juliana,essa história tu já sabe, mas enfim, a vida tem disso =/

Vi Lins disse... [Responder comentário]

"Dizem que aquilo que não te mata te faz mais forte, mas aquilo que não te mata de uma vez te mata aos poucos. Mas o que é a vida senão uma preparação para o fim? A partir do momento que você nasce você começa a morrer. O que te faz forte afinal de contas?" ----

Dia 6 desse mês, completaram 6 meses que perdi minha mãe. E, só sabe o que é isso, quem passa...
Mas, nessa vida nada é por acaso, tudo que acontece está predestinado. Assim, penso eu.

Carla Rodrigues disse... [Responder comentário]

Desistir é fácil,continuar que é difícil,isso você bem sabe.Mas são essas pessoas que não estão mais com a gente que estarão nos ajudando,pode ter certeza de que o vazio deles é apenas físico.Pelo isso é o que eu tento colocar na minha cabeça todos os dias...

Maurício Penedo disse... [Responder comentário]

Ótimo texto. Palavras de consolo são sempre inócuas. Exemplos são fortes.

. disse... [Responder comentário]

"Tudo que é bom dura o tempo necessário para ser inesquecível". Seu avô serviu de exemplo para você e muita gente, creio eu. Isso que importa. Infelizmente a vida tem dessas, em um momento "deixa de ser" vida e só quem passa por isso, de perder um ente querido, sabe "a dor que deveras sente". Força aí.

Maísa disse... [Responder comentário]

Em cada caracter eu pude sentir o sentimento com o qual escrevestes esse texto. Me emocionei, e até era o que eu precisa ler.
O que te faz forte afinal, é a vontade de viver e viver bem, pra gente chegar nesse final que não sabemos onde e quando vai ser.

Raissa A. M. Valença disse... [Responder comentário]

' (...) ele carregava nas costas o peso de toda uma vida, ia treinar justamente para tentar aprender a se defender dos golpes que a vida insistia em lhe aplicar. Queria também aprender a cair sem se machucar tanto quando esse golpe fosse certeiro. '

Permanece na tua luta, e tua recompensa será muito maior.

carolfbm disse... [Responder comentário]

Toda perda causa muita dor na gente, e embora a pessoa não esteja mais entre nós, na minha opinião, é um pouco confortante saber que ela nos ensinou algo e nos deixou algo bom para a vida. Já perdi minhas duas avós e um avô, sinto muita saudade deles, mas procuro lembrar deles com muito carinho, e sei que de alguma forma, todos eles me ensinaram a ser, pelo menos, alguma coisa do que sou hoje. E meu irmão também, apesar de ter ido muito novo (e eu também era muito nova), deixou boas lembranças e até hoje é muito amado pela minha família. São momentos difíceis, mas a gente aprende que se cair, é pra levantar e seguir em frente.

Parabéns pelo post, tá lindo e eu me emocionei muito lendo.

Maria Clara Gallindo disse... [Responder comentário]

Coisas da vida, que nós temos que superar e seguir em frente... Antes eu pensava que quando eu perdesse minha avó eu não ia superar, ela já se foi a 2 anos, foi uma perda muito grande, mas quando parece tá tudo perdido, do nada você encontra forças para seguir em frente, mas não é do nada, Deus é que conforta a gente e nos ajuda a levantar a cabeça e lembrar que se cairmos 10(dez) ou mais vezes, levantamos o dobro, ou o triplo talvez!

Muito bom o post, bom para refletir também.

Dr² Br disse... [Responder comentário]

Essa perda irreparável nos fez ver que nem sempre podemos esperar e acreditar que as coisas ruins só atingem os desconhecidos e que nossos proximos estão a salvo. Lembro bem dos fatos que antecederam tal perda, era muito cedo para ir embora, no entanto, não nós foi oportunizado escolher quando seria a partida dele (e seria nunca a nosso ver) ou mesmo escolher a nossa partida (isso até é possivel mas é raro), em suma foi um amigo querido partindo, deixando um exemplo para todos os que ficaram e que tiveram a oportunidade de conviver com a felicidade e a espontaniedade que ele transmitia. Um salve aos que se foram! Boa sorte aos que ficaram!

Vi Lins disse... [Responder comentário]

Filé, tem um 'selinho' pra vc no meu blog.
BeijO

Milla disse... [Responder comentário]

As idas e vindas também fazem parte da vida, num golpe te leva à dor e ao alivio tudo ao mesmo tempo. Erguer a cabeça é sempre nobre.

muito bom o seu texto!