9/09/2011

She looks to me


Meio que dando sequência ao tema do post passado, essa semana conversando com meu amigo, falávamos a respeito de um amigo nosso que, apesar de ser um cara legal, só se envolve com as piores mulheres – aquelas que só estão interessadas no que ele tem. E o pior é ele sabe disso, e mesmo assim continua a atrair esses tipos usando sua carteira como isca. Eu sei isso é um problema mais profundo ligado a autoestima dele, mas bem que ele poderia fazer o mínimo de esforço para evitar esse tipo de ação?

Já o oposto a esse nosso amigo é outro, ele é do tipo que só se faz de coitadinho, daqueles “tudo de ruim só acontece comigo”. Esse ganha a menina por pena que ela começa a sentir dele. Acho que ele daria certo com uma enfermeira, but anyway, vamos deixar esse de lado porque ele já sofreu muito na vida (segundo ele diz para todas).

Eu sinceramente não sei qual é o pior tipo, o que se baseia na aparência e posses para se sentir amado ou aquela que entra no jogo dele e joga conforme as regras dela, a famosa “interesseira”.

Nunca fui um cara pobre sempre tive coisas boas, roupas, etc, mas nunca tive o que eu não precisava, coisas só para mostrar aos outros que tinha. Sempre procuro passar a imagem do meu lado mais simples para aqueles que me conhecem, não oferecendo nada além do que eu sou, justamente para evitar que se aproximem de mim por qualquer tipo de interesse. Sei que durante a minha vida eu me deixei levar por essas pessoas, mas acontece.

Eu sei muito bem que não é fácil mostrar a todos quem você realmente é, as vezes é até bom esconder isso. É melhor deixar o outro na duvida sobre quem você é do que ele ter a certeza. Mas se você tem algo de bom dentro de você, use isso como campanha publicitária. Divulgue essa sua marca, o retorno a curto prazo pode não ser muito bom, mas os clientes que você conquistar serão fieis a sua marca.

7 Comenta aqui, campeão!:

Lua disse... [Responder comentário]

Adorei esse post. É bom lembrar que tem o famoso 171, que não tem onde cair duro, mas fica fingindo posses por aí (físicas ou mentais, tipo "faço Medicina num sei onde") pra conquistar as gatinhas. Eu na minha fase "Sua Lunga" penso: eu vou rir com o carro, beijar o diploma, conversar com o tênis da Nike ou com você?
Cada dia mais as pessoas se prendem a beleza, dinheiro e "amostração", infelizmente.

Maria Clara Gallindo disse... [Responder comentário]

Gente assim, é o tipo de pessoa mais 'barata' que existe.

Sabrine Souza disse... [Responder comentário]

Além dos tipos citados existe o Pseudo-intelectual a criatura se acha extremamente inteligente e interessante, enche seu perfil nas redes sociais com livros,musicas e filmes classicos,adoras frase feitas e vive comentando as cronicas de jabor...mas que depois de meia hora de conversa, você percebe que além de chato ele é, na verdade, um impostor.
Pra mim o pior de Todos!

Adorei o Post André!
Bjus!

Sabrine Souza disse... [Responder comentário]

Ahh essa foto ta muito cretinaaa! Ri alto!

Jean disse... [Responder comentário]

Marketing é uma ciência por demais inexata. Até as pessoas mais próximas podem ter uma visão míope do que aquilo que, na realidade, você representa.
A gente constrói nos outros uma imagem tão detalhada quanto mais se convive. No final das contas, quase todo mundo soa bem superficial em quase todos os aspectos.

@flaviasport disse... [Responder comentário]

Sabe o que eu acho Andre que não tem ditado mas certo do que esse "a gente colhe exatamente o que planta" se o seu amigo só arruma interesseira deve ser pq ele da valor demais a interesses matériais !!! O amigo oh vida oh céus rsrsrs deve ter mas pena dele do que todas que de relacionam com ele por pena !!!! e sobre a propaganda o marketing pessoal eu penso que qnd temos valores corretos !! Qnd temos boa índole !!! Qnd sabemos valorizar boas amizades !!! nem precisamos desse marketing é aquilo que te falei no outro comentário tá nas entrelinhas e vc sem fazer nenhuma propaganda qnd se dar conta percebe que naturalmente encontra amigos e romances verdadeiros !!!! :)

Milla disse... [Responder comentário]

Seriam então os relacionamentos fruto de jogos de sedução? prefiro pensar na entrega, na intensidade e, sobretudo na veracidade das relações. Na saga da mulher solteira [meu blog de crônica] tento explorar um pouco o ponto de vista feminino nesse meio mundo de pós modernidade em tempos de amores liquidos.