10/29/2010

St. Anger


Raiva. Já falei sobre isso aqui antes, mas é algo que eu gostaria de falar mais a respeito já que é um dos sentimentos mais presentes em mim. Muita gente diz que o oposto de amor é indiferença, pode até ser, mas não é o único, raiva também é. A diferença é que raiva é mais difícil de ser administrada, a indiferença está ali dentro de você, mas ao mesmo tempo não está. Já a raiva não, está ali, faz questão que todos saibam que ela está ali, fica duelando o tempo todo com seu auto-controle. Comigo na maioria das vezes ela perde ela luta. Quem nunca deitado na cama pronto pra dormir lembrou daquela pessoa ou daquela situação e foi tomado por uma vontade enorme de avançar no pescoço daquela pessoa (não só no sentido físico, mas emocionalmente ou psicologicamente) ou quebrar tudo naquela situação?

A raiva bem utilizada pode ser benéfica para você, pois é uma forma agressiva de você se defender de algo que te faz ou fez mal. Melhor defesa é o ataque. Agressiva, ela fará com que você desconte tudo aquilo que você passou. Vale a pena? Sei lá! Nunca consegui descontar uma raiva minha em quem realmente merecesse, mas espero fazer isso sim um dia. Se os deuses tem direito a ter seus ataques de fúria contra a humanidade, quem sou eu para não ter um lapso? Calma, não estou pretendendo matar ninguém. Só quero dizer que gostaria de saber qual a sensação de simplesmente explodir contra o alvo certo. Alguém que já passou por isso aqui sabe dizer que seu estado de espírito melhora após fazer isso? Não tenho plano nenhum de ser um monge budista mesmo.

8 Comenta aqui, campeão!:

Luana Silva disse... [Responder comentário]

Não, não melhora. A raiva é um estado mental rápido demais, e o arrependimento é bem mais prolongado. Eu acho que o melhor a fazer é ficar na sua e esperar a raiva passar :)

.Lay disse... [Responder comentário]

É uma sensação boa por 5 segundos. Depois você tem um lapso de humanidade e se sente mal por ter atentado contra outra criatura dita pensante.

. disse... [Responder comentário]

Chará, concordo! Eu sou dessas que quando a raiva bate é num instante, pavio curto mesmo. Mas respiro três vezes, peço a paciência de Jó, seguro no pqp e relaxo... "Simples".

Carla disse... [Responder comentário]
Este comentário foi removido pelo autor.
Carla disse... [Responder comentário]

Não melhora;o que vem depois é um sentimento muito,muito pior do que raiva.Então,trate de agir como a pessoa que eu conheci um dia e faça a coisa certa.

Milla disse... [Responder comentário]

Oi André vi seu comentário no meu blog e tomei a liberdade em vir no seu.
Gostei do seu texto e penso que cada momento tem que ser vivido como ele se prepõe, se é de raiva que se enraiveça! O fato é que a raiva aprisiona também e hoje estou numa busca incessante da libertação. Vivi e cultivei muitas raivas, precisei disso e agora elas nã me servem mais, só pra dar cabimento a tantas outras que surgirão. É o ciclo da vida não é?

apareça nos fragmentos sempre que quiser, será sempre bem vindo!

Carolina disse... [Responder comentário]

Tô tentando me livrar da raiva ruim, que faz mal só pra mim e não pors outros; é difícil canalizar. Principalmente quando ela vem junto com outros sentimentos ruins...

Quero discutir umas coisas contigo, Homem! Qnd ficarmos de férias vou te emprestar um livro pra gente trocar uma idéia, rola?

Raquel Mota disse... [Responder comentário]

Na hora é um alivio, mas depois vem o peso na consciência (: