6/22/2011

A Falta


Rejeição é um tema recorrente em minha vida e incrivelmente eu nunca falei sobre isso aqui não sei por que. Talvez eu simplesmente nunca parei pra pensar no assunto, tentar ver isso de uma óptica externa. Mas é só parar por um segundo que fica fácil explicar minha relação com a rejeição, principalmente em relacionamentos. E tudo em que ela implica.

(travei totalmente entre esse parágrafo e o seguinte)

O sofrimento proveniente da rejeição pode ser de três tipos:

  • O durante. É a falta da convivência com aquela pessoa. Não falo somente da convivência física, do contato, mas sim da rotina emocional. Você não irá mais ficar pensando naquela pessoa como antes. Até irá, só que a proporção pensamentos bons/pensamentos ruins sobre aquela pessoa tende a se inverter. É difícil demais tirar da cabeça aquela pessoa e colocar na cabeça que aquela pessoa não é mais “sua”.
  • O antes. Fica se culpando por deixado tudo isso acontecer, pensa que seria melhor nem ter conhecido aquela pessoa e assim evitado todo esse sofrimento. E os momentos bons ao lado dessa pessoa durante todo esse tempo? Que se explodam! Quero ver quem consegue se apegar ao lado bom da situação depois de levar uma porrada na cara. As lições da derrota, o aprendizado com o erro você pode até conseguir depois, mas na hora o sangue está correndo.
  • O depois. Esse para mim é o pior. É ter que descartar todos os planos futuros que você tinha ao lado daquela pessoa. É se questionar se vale a pena jogar todos aqueles planos fora ou simplesmente mantê-los e buscar outra pessoa para assumir o outro posto. Acho que esse é o mais complicado para mim porque sou muito desapegado, criar planos ao lado de outra pessoa significa que eu estou apegado aquela pessoa, quero tê-la ao meu lado por tempo indeterminado, de uma hora para outra ter repensar tudo isso é bem difícil. Sim, eu sei que num relacionamento não devo criar muitas expectativas, afinal, eu não estou nisso sozinho, mas é inevitável quando se gosta de alguém fazer tudo isso.

Apesar de ter ciência de tudo isso, ainda acho que vale a pena levar um fora. O que se tem a perder? Tempo? Se tenho tempo para perder escrevendo aqui e vocês lendo isso tudo o que dirá de tempo para “gastar” com outra pessoa que possa te fazer feliz e ocupar nosso tempo aqui no blog.

A tempestividade tá bastante falha, esse mês os títulos dos posts serão músicas de Falamansa. Era mais conveniente em junho, né?

3 Comenta aqui, campeão!:

Raquel Mota disse... [Responder comentário]

Sem acrescentar nem tirar... concordo com tudo dito

Raissa A. M. Valença disse... [Responder comentário]

MINHA VIDA . Sem mais .

Fernando Santana disse... [Responder comentário]

Concordo plenamente. André, somos assim... tem horas em que fico me perguntando por que em??? Até nisso?!?!?

Sentimento é algo absurdamente maravilhoso e ao mesmo tempo complicado. Fazemos juras de amor em determinados dias, já em outros o que mais desejamos é ver a tal pessoa "amada" distante de nós. É assim mesmo, nos apegamos fácil. No entanto, eis a hora de praticar o desapego.

Uma ressalva, bem que poderia ser com os títulos das músicas de Saia Rodada/2005.