5/09/2008

DIY


Até bem pouco tempo atrás meu estilo era bastante diferente do que é hoje, eu não era tão eclético. Ir a um forró era o fundo do poço para mim afinal eu era um projeto de punk, pelo menos achava que era. Talvez eu até fosse, mas não nesse momento de intolerância, só posteriormente com o desenvolvimento da minha mentalidade. Eu adorava uma camisa preta e calça rasgada, deixei cabelo crescer e usava acessórios de metal. Era um estilo, gostava dele. Mas aos poucos fui percebendo que o meio em que eu vivia não era próprio para esse meu estilo, quem já se viu um matuto punk? Com o tempo comecei a gostar de micareta, de forró... Ou melhor, aprendi a aproveitar o ambiente em que eu estava, como eu tenho amigo de todo tipo consequentemente frequento todo tipo de ambiente.

Era fazer isso ou ficar o tempo todo em casa. Pois bem, mudei, mas algo ficou ainda. O estilo punk ficou para trás, mas algumas coisas da filosofia punk ficou, acho que no fim das contas é isso o que importa mesmo. O principio fundamental, pelo menos ao meu ver, do movimento punk é o DIY, "Do It Yourself", ou seja, "Faça você mesmo". Acho horrível o hábito do comodismo, de ver as coisas sendo feitas de forma errada e não fazer nada; e pior que isso, ficar só reclamando. Pô, se tá achando ruim vai lá e resolve! Pelo menos tenta! Se não aguenta mais ler tanta notícia de corrupção no Brasil faça sua parte, não seja corrupto.

Corrupção não é só por parte do deputado que rouba milhões, você quando suborno um guarda de transito tá sendo tão incorreto quanto o deputado. De grão em grão de areia se faz uma praia. Vejo a imagem do punk associada a marginalização, mas se você seguir o principio do DIY você agirá exatamente da forma contrária. Ser politicamente correto não é ser babaca, é ser consciente. Percebam que você vive em uma sociedade e cada um depende do outro. Agir corretamente 100% do tempo é impossível, uma hora você vai deixar cair um papel de chiclete no chão, acontece, mas se esforçar para que isso não aconteça é o primeiro passo para que isso não aconteça. Não precisa fazer um moicano e mandar todo mundo se foder, bastam atos simples que fazem uma diferença enorme.

Ainda escuto muito punk-rock e ainda tenho o mesmo All-Star sujo velho. Por que não tentar ser um pouco punk também pelo menos algumas horas do dia?

4 Comenta aqui, campeão!:

Pitty que Pariu disse... [Responder comentário]

Bem, você descreve bem nossos "processos". É difícil ter uma percepção deles quando tão recentes.
Enfim, nunca tive um "estilo" mais impactante. Mas certamente hoje sou bastante flexível com as possibilidades de entretenimento, cultura etc.

Jean Johnson disse... [Responder comentário]

Verdade esse lance que se vestir com o estilo tem bastante a ver com o meio que você frequenta.
Se vestir a gente se veste como for. Bom é cuidar daquilo que a gente joga pra cabeça.

jessy_vt disse... [Responder comentário]

"Ser politicamente correto não é ser babaca, é ser consciente. "

pois é, concordo. Porém há muita gente que não pensa assim.

anine surui disse... [Responder comentário]

Não discordo de nada!
só para completar: é muito mais fácil ficar acusando o deputado de roubo ao invés de se conscientizar e admitir os próprios erros. O pior de tudo é quando você pergunta a alguém o porquê da pessoa ter roubado, por exemplo, a justificativa é se eles(políticos) fazem eu vou barbarizar também. Fala sério.